Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
Buscar
Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
  

Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção Primária à Saúde- SAPS

 

Gengivite e ausências dentárias: Saúde abre duas consultas públicas de práticas odontológicas

Data de publicação: 21/03/2022


Contribuições podem ser feitas até o início de abril. Materiais em análise vão compor documento com 22 diretrizes de saúde bucal para a Atenção Primária


   

Com o intuito de fomentar a participação social, especialmente dos profissionais de odontologia, o Ministério da Saúde lançou mais duas consultas públicas sobre a prática clínica odontológica na Atenção Primária à Saúde (APS). Agora, o público pode avaliar as recomendações da 5ª e da 6ª diretriz nos próximos dias, conforme o cronograma abaixo:

Diretriz para prática clínica odontológica na APS: Manejo de ausências dentárias posteriores
Data: de 14/3 a 4/4
Contribua aqui

Diretriz para prática clínica odontológica na APS: Tratamento da gengivite induzida por biofilme em adultos
Data: de 21/3 a 11/4
Contribua aqui

No caso do manejo de ausências dentárias posteriores, a diretriz fornece recomendações sobre a indicação ou não da confecção de próteses dentárias em indivíduos parcialmente edentados (sem dentes) posteriores considerados como “arco reduzido” e “extremamente reduzido”. “Esse documento terá o potencial de diminuir a indicação de próteses desnecessárias para usuários, indicando outros tratamentos possíveis e menos invasivos, a depender do caso”, pontua o coordenador-geral de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Wellington Mendes Carvalho.

Já no tratamento da gengivite induzida por biofilme em adultos, o intuito é dar apoio aos profissionais para o delineamento do plano terapêutico singular para cada caso. “A gengivite é um dos agravos bucais mais prevalentes no cotidiano das equipes que atendem na APS, ou seja, é recorrente na população. Isso sugere que os profissionais devem se atentar para as formas mais ágeis e eficientes de lidar com a questão”, explica.

As propostas integram o projeto inédito de construção de 22 Diretrizes Clínicas para a Saúde Bucal na APS, criado pelo Ministério da Saúde em parceria com o Global Observatory for Dental Care – GODeC, da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Um dos principais objetivos das diretrizes é desenvolver, disseminar e prover acesso às recomendações baseadas em evidências científicas para a promoção das melhores decisões de tratamento e prática dos cirurgiões-dentistas da Atenção Primária.

As primeiras consultas públicas lançadas foram relativas às seguintes quatro primeiras diretrizes: Tratamento em Gestantes, Recomendações para Higiene Bucal na Infância, Manejo Clínico de Traumatismos Alveolodentários em Dentes Decíduos e Manejo Clínico de Traumatismos Alveolodentários em Dentes Permanentes (as duas últimas ainda estão abertas até 28/3).

Saúde bucal no SUS

Os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) têm acesso a serviços odontológicos desde a Atenção Primária, por meio das equipes de Saúde Bucal presentes em unidades básicas de saúde (UBS) que contam com a Estratégia Saúde da Família e nas unidades odontológicas móveis. Além desses serviços, os brasileiros também contam com os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), os Laboratórios Regionais de Prótese Dentária (LRPD) e atendimento odontológico em ambiente hospitalar.

Para saber onde fica o serviço odontológico mais próximo de você, consulte o aplicativo Conecte SUS, clique em “serviços” e, em seguida, em “saúde bucal”. E para ler mais sobre a Política Nacional de Saúde Bucal (PNSB), acesse aqui.