Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
Buscar
Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
  

Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção Primária à Saúde- SAPS

 

Oficina Previne Brasil chega ao Espírito Santo

Data de publicação: 27/09/2021


O encontro reuniu gestores dos 78 municípios do estado nesta segunda-feira (27/9)


“É papel do governo Federal ir a cada estado e município ouvir os gestores, conhecer melhor os problemas locais para que consigamos fazer políticas de saúde mais adequadas para todo o país", afirmou o secretário da Atenção Primária à Saúde, Raphael Câmara, no encontro em Vitória com representantes dos 78 municípios do estado do Espírito Santo (ES), nesta segunda-feira (27/9).

Entender como funciona o Previne Brasil, o financiamento da Atenção Primária, impacta em uma melhor gestão dos recursos federais e, consequentemente, na qualidade dos serviços que são ofertados para os cidadãos.

O encontro integra a agenda que será feita em todo o País. "A oficina busca capacitar os técnicos municipais sobre o modelo de financiamento da Atenção Primária para que consigam, de forma plena, executar o Previne e receber mais recursos. Com isso, será possível investir na Estratégia de Saúde da Família", explicou o secretário da Saps na abertura da reunião.

De acordo com o secretário Estadual de saúde, Nésio Fernandes, a população do ES representa apenas 1,9% do país, mas mesmo pequenos diante do resto do Brasil, a gestão tem expectativa muito grande em fortalecer a APS, e reconhece a experiência positiva que a gestão municipal vive no estado atualmente. "Quando foi instituído o Previne muitos disseram que a Atenção Primaria iria acabar. Temos visto o contrário. O repasse federal pode chegar a financiar de 60% a 70% do custeio das equipes da Atenção Básica. O melhor financiamento que existe hoje no Ministério da Saúde é o financiamento da APS. Além disso, é garantidor de uma estabilidade de organização e provimento do serviço", ponderou Fernandes.

Participaram também da mesa de abertura o diretor financeiro do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Hisham Mohamad Hamida; a presidente do Colegiado de Secretarias Municipais de Saúde do Espírito Santo (Cosems/ES), Cátia Lisboa; a subsecretaria de Atenção à Saúde, Quelen Tanize Alves da Silva; e o conselheiro do Conselho Federal de Medicina pelo Estado do Espírito Santo, Carlos Magno Pretti Dalapicola.

Desafios

Para a coordenadora da Atenção Primária do estado, Maria Fernanda, o Previne Brasil implica em um registro de informações qualificado para captar recursos, para mostrar a produção das equipes e acompanhar a população. "Por meio do uso adequado dos sistemas de informação, é possível ver o que tem sido feito da APS para assim garantir um melhor acolhimento e trabalhar a organização e qualidade do serviço", ponderou a gestora.

O registro da produção e o acompanhamento dos indicadores tiveram espaço reservado na programação para que os gestores tirassem as dúvidas. "A oficina foi muito importante para vermos as falhas do dia a dia. Por detalhes, podemos perder o recurso. Buscar informações com os técnicos do Ministério nos ajuda a entender melhor o financiamento para receber mais recurso", contou Juliana Bruno, subsecretária de saúde de Cariacica.

 


Fonte: - Autor(es): -