Buscar
  
  

Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

Profissionais de saúde, vamos cadastrar a população?

Data de publicação: 21/10/2019


O Cadastro dos usuários subsidia o planejamento dos serviços de saúde e auxilia no acompanhamento dos indivíduos sob responsabilidade das equipes


O cadastro do cidadão na Atenção Primária à Saúde (APS) compõe uma das ações realizadas pelas Equipes de Saúde da Família (eSF). Por meio desse cadastro, pode-se obter o reconhecimento da população próxima à equipe e Unidade de Saúde da Família (USF), subsidiando o planejamento das equipes nas ofertas de serviços e o acompanhamento dos indivíduos.

O cadastro é o registro da pessoa no SUS. Na atenção primária, ele serve como identificação de que a pessoa está vinculada e sendo acompanhada na unidade de saúde. Manter todos os dados atualizados, incluindo o endereço e telefones, é muito importante, pois facilita a localização e a busca ativa do cidadão na hora de avisar sobre exames e consultas, situação vacinal ou mesmo na hora de identificar alguma possível doença transmissível.

Outro motivo para priorizar o cadastro dos usuários é que, em uma análise situacional na base de dados do Sistema de Informação em Saúde da Atenção Básica (SISAB), revelou-se que o número de cadastros está abaixo do ideal no país. Hoje são 87 milhões cadastros enquanto deveria ter 150 milhões. Existem mais indivíduos atendidos na APS do que cadastrados. Significa dizer que ainda milhares de brasileiros não estão vinculados a uma equipe de saúde, ou seja, isso prejudica o planejamento e a execução das ações de saúde junto à população.

Cadastre Já
Para estimular o cadastramento da população, a Secretaria de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde (Saps/MS) lança a campanha Cadastre Já. O vídeo abaixo é o primeiro de uma série que vai mostrar a importância desse registro para as equipes de saúde.

Todos os profissionais da equipe de Saúde da Família podem fazer o cadastramento do usuário. Esse registro pode ser feito na Coleta de Dados Simplificada (CDS) ou Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC). Somente é considerado cadastro válido quando utilizado o Cartão Nacional de Saúde (CNS) que foi gerado no portal do DATASUS ou diretamente pelo PEC. Para facilitar ainda mais o trabalho dos profissionais de saúde, a partir de dezembro, também será possível utilizar o CPF para gerar um cadastro válido, e não apenas o CNS.

Assista ao vídeo abaixo


Fonte: - Autor(es): -