Buscar
  
  

Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

Governo Federal fortalece a preceptoria na Atenção Primária

Data de publicação: 16/09/2019


Secretaria de Atenção Primária à Saúde atualiza pagamento das bolsas das turmas dos cursos de formação de preceptores


O Governo Federal continua investindo na qualificação da formação de preceptores para atuarem na Atenção Primária à Saúde (APS). Nas últimas semanas, a Secretaria de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde (Saps) atualizou o pagamento das bolsas de todas as turmas dos cursos de formação de preceptores em Medicina de Família e Comunidade. Os pagamentos deverão ser feitos de forma regular a partir de setembro.

"Uma atenção primária de qualidade só se faz com a presença de bons profissionais. Por isso, a qualificação da formação profissional é uma prioridade na Secretaria de Atenção Primária à Saúde, que depende de bons preceptores", afirma o Diretor de Programas da Saps Lucas Wollmann.

No programa Médicos pelo Brasil, que atualmente está em discussão no Congresso Nacional, profissionais especialistas em Medicina de Família e Comunidade poderão ingressar no programa por contratação CLT, com salário inicial que pode chegar até 21 mil reais. Os profissionais que ingressarem como tutores ficarão responsáveis pela supervisão dos demais médicos realizando curso de especialização em Medicina de Família e Comunidade.

Segundo o Secretário de Atenção à Saúde, Erno Harzhem, o Ministério da Saúde tem estratégia sistêmica para fortalecer os atributos essenciais da atenção primária. "O programa Médicos pelo Brasil e o incentivo à residência em Odontologia, Enfermagem e Medicina de Família e Comunidade deve reforçar o atributo de longitudinalidade da APS. O acesso, a integralidade e a coordenação na APS serão também fortalecidos, com o Programa Saúde na Hora; a Carteira de Serviços; a ampliação do escopo profissional; a informatização das Unidades de Saúde da Família, a regulação clínica e Telessaúde", finaliza.


Fonte: - Autor(es): -