Buscar
  
  

Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

Participantes comentam sobre Encontro Estadual no Paraná

Data de publicação: 17/03/2018


Equipe de comunicação do DAB entrevista autoridades, palestrantes, técnicos facilitadores e participantes do evento que objetiva fortalecer a Atenção Básica


Durante o Encontro Estadual para Fortalecimento da AB do Paraná, a equipe de comunicação do Departamento de Atenção Básica (DAB) fez a escuta de diversos técnicos, autoridades, facilitadores, palestrantes e participantes do evento, e agora traz a público alguns depoimentos. Eles refletem a importância do momento que reuniu gestões federal, estadual e municipal das macrorregiões Leste e Oeste do estado paranense em prol do fortalecimento da Atenção Básica. Demonstram, ainda, a potência das oficinas que aconteceram durante o último dia de evento, nesta sexta-feira (16).

 

 

Márcia Leal (Facilitadora - GAB/DAB/MS): “O impacto deste evento poderá ser significativo para a organização do processo de trabalho da atenção básica in loco. Com a participação de gestores e profissionais da AB no evento, esperamos que o evento seja replicado nos municípios trazendo melhorias na AB, visando qualificação dos profissionais”.

 

Aldamira Affornalli (Participante - 9ª Regional de Saúde de Foz do Iguaçu): “Com a nova política, muitas dúvidas surgiram, então acredito que esse tipo de evento deve ser mais constante, já que são muito positivos no sentido de criar um momento onde todos os personagens se encontram. E é óbvio que não poderíamos esgotar em 16 horas de encontro todas as dúvidas, mas nos é de valia, pois conseguimos mostrar um pouco da nossa realidade, já que há uma diferenciação de região para a região. O evento também aproxima o MS das nossas dificuldades, que são muitas. Uma das angústias atuais, pra quem olha como gestor, é tentar amparar os municípios pra que eles não comprometam ou percam recursos”.

 

Túlio Souza (Facilitador - CGGAB/DAB/MS): “No encontro, tivemos a oportunidade de reunir os municípios das macrorregiões Leste e Oeste do estado do Paraná para tratar da Política Nacional de Atenção Básica (PNAB) e dos principais programas relacionados a ela, como, por exemplo, o Programa de Melhoria de Acesso a Qualidade (PMAQ). Ele induz o aprimoramento da AB por meio de incentivo financeiro, mas vai além do repasse de recurso por desempenho: a ideia é que as diversas equipes estejam em constante processo de reflexão e autoavaliação para ampliar o acesso e melhorar a qualidade da AB, a caracterizando como a porta de entrada para o usuário, e que ela seja resolutiva e ordenadora do cuidado. As diversas oficinas que fazem parte da programação também são importantes; pois, por meio de uma metodologia ativa, conseguimos promover uma cooperação horizontal entre os municípios participantes”.

 

Marcia Baldani (Palestrante - Universidade Estadual de Ponta Grossa/Fiocruz): “Esse é um momento em que conseguimos ter contato com os gestores. Nós fizemos um contato prévio nas reuniões das Comissões Intergestoras Bipartite regionais e agora temos uma forma de darmos uma devolutiva e podermos ouvi-los. A minha fala na mesa sobre o fortalecimento das redes a partir da Estratégia Saúde da Família foi no sentido de demonstrar que a simples implantação da estratégia em si não modifica processo de trabalho e não está diretamente relacionado com melhoria de qualidade. Há maior importância na qualificação desse processo, além da composição das redes, já que com a qualificação da atenção primaria garantimos acesso da população, principalmente a menos assistida. Tentamos mostrar o quanto a que a avaliação por resultados, da qual o PMAQ faz parte, e principalmente a etapa de desenvolvimento, com o apoio institucional, com a educação permanente e com avaliação de indicadores. Que todo esse processo é importante para a qualificação e que ela não pode ser pontual apenas, aguardando a avaliação, mas tem que ser contínua pra que a gente consiga realmente algum reflexo na condição de acesso e saúde da população”.

 

Raylayne Bessa (Facilitadora - CGGAB/DAB/MS):  “Conseguimos proporcionar que os participantes aprofundassem o debate sobre alguns temas que são importantes na qualidade da Atenção Básica, a partir do processo de trabalho das equipes de saúde nos municípios do Paraná. A ideia foi sair do campo conceitual para refletir no campo da prática, de como isso se dá no território, entendendo que todos esses preceitos vão refletir diretamente na resolutividade da AB. Esperamos, também, corroborar com as ações já realizadas no Estado e subsidiar o apoio que o DAB faz e fará com os municípios paranaenses”.

 

Juliano Schmidt Gevaerd (Palestrante - SESA/PR): “É muito importante a participação nesse encontro que o MS promove. Pudemos apresentar a experiência do estado do Paraná na qualificação da Atenção Primária (AP), suas linhas de investimento e todo o processo de educação permanente associado a um processo de tutoria que vem qualificando a AP no estado, no qual 336 municípios já são participantes com resultados bastante efetivos. O Paraná hoje tem um dos menores indicadores de mortalidade materna e infantil graças a um grande processo de planejamento estratégico e uma politica sustentável e forte”.

 

Cassili Beatriz (Participante - Coordenação da Atenção Primária do município do Pinhão): “Quando a gente pensa em fortalecer a AB, a gente tem que dar voz e a oportunidade para escutar os dois lados: tanto a gestão no nível hierárquico, quanto quem está na ponta, fazendo o programa e o processo andar. E o encontro deu abertura pra que isso acontecesse e os gestores, dentro de suas fragilidades e necessidades, conseguissem expor e até obter uma resposta”.

 

Sandra Cartaxo (Facilitadora - CGSB/DAB/MS): “Trouxemos a discussão de caso clínico fictício para falar sobre o processo de trabalho e ações da política no território. Discutimos, ainda, fluxos de referência e contra referência na rede de atenção à saúde. Durante a discussão, apresentamos dados do PMAQ-AB sobre o desempenho das equipes, lembrando que as melhores foram aquelas que realizavam não apenas os procedimentos mínimos, mas também a detecção precoce de câncer de boca e oferta de prótese dentária na AB”.

 

Maria Lucia Frizon Rizzotto (Palestrante - UNIOESTE, Cascavel): “As mesas foram super interessantes, e foi possível perceber como é possível, através de uma politica de indução do MS, valorizar os programas e fazer bem feito no âmbito municipal. Os dados comparando os 2º e 3º ciclo do PMAQ mostram a evolução do Estado em vários aspectos, obviamente com vários pontos pra melhorar. No caso do programa, há a necessidade de maior aproximação entre as equipes com a gestão. Para quem participou, a troca valoriza o trabalho de quem está fazendo bem feito e motiva outros a fazerem igual”.

 

Rayanna Araújo (Facilitadora - CGPAB/DAB/MS): “Mostramos como funciona o programa Requalifica UBS e como ele já contribuí para o Estado do Paraná, buscando facilitar o entendimento dos participantes quanto aos cadastros de propostas, monitoramento de obras e como aplicar o recurso beneficiado da forma correta”.

 

Robson Xavier (Secretário adjunto - Secretaria de gestão e saúde de Ponta Grossa, 3ª regional): “Este encontro é momento importe para que os municípios, seus técnicos e secretários tenham acesso a informações importantes quanto ao que tem sido desenvolvido pelo MS e secretários de estado. Dessa forma, os municípios nas regionais atuam de forma articulada e integrada a essas diretrizes, bem como reavaliam os seus planejamentos, em especial no que diz respeito ao e-SUS e PEC. As informações são muito importantes também para que os gestores tomem uma decisão mais adequada daquilo que será feito a respeito da informatização de suas unidades”.

Igor Gomes (Facilitador - CGAA/DAB/MS): “A estratégia e-SUS AB vem promovendo uma grande evolução tecnológica nos processos de cuidado e gestão nos serviços de atenção básica do país. Então trouxemos para gestores do Paraná a situação atual da estratégia, tendo em vista a sua consolidação após seus quase 5 anos de existência. Apresentamos as novidades da versão 3.0 do Prontuário Eletrônico do Cidadão e informações sobre o Plano Nacional de Informatização das Unidades Básicas de Saúde (PIUBS), facilitando a tomada de decisões por parte dos gestores municipais”.

 

Maria da Penha Marques Sapata: (facilitadora - COSEMS PR): “Para nós do COSEMS, essa integração entre SESA, MS e municípios é uma grande oportunidade para implementar a PNAB que está vindo aí. O encontro favorece a troca, o aprendizado e participação das equipes nesse processo. Hoje os municípios tem uma situação difícil na condução da politica publica por uma questão financeira, mas isso não impede que a gente implemente uma PNAB com qualidade para população brasileira”.

 

Monique Costa (Participante - Departamento de Atenção Primária a Saúde - SES Paraná): A oficina para fortalecimento da Atenção Básica promoveu a oportunidade de ampliar os debates sobre a nova PNAB e contemplar ações que a SESA/PR já vem desenvolvendo. As discussões sobre as novas conformações das equipes, territórios e análise de vulnerabilidades só reafirmaram o trabalho que o Estado vem desenvolvendo através do processo de Tutoria na Atenção Primária à Saude, que viabiliza o atendimento aos cidadãos conforme sua estratificação de risco e vulnerabilidade. Percebemos que o PMAQ e a tutoria vem qualificando e agregando valores a APS”.

Confira fotos do evento

Veja também

Paraná recebe Encontro Estadual para Fortalecimento de Atenção Básica


Fonte: - Autor(es): -