facebook   flickr   youtube   
Buscar
   facebook   flickr   youtube   
  

facebook   flickr   youtube   
Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

DAB participa de 1º Fórum de Medicina Tradicional e Complementar da Nicarágua

Data de publicação: 26/08/2016


Brasil apresentará sua experiência no ano em que celebra uma década de PNPIC


<p>Representado por integrante da equipe respons&aacute;vel pela Gest&atilde;o da Pol&iacute;tica Nacional de Pr&aacute;ticas Integrativas e Complementares (PNPIC), o Departamento de Aten&ccedil;&atilde;o B&aacute;sica (DAB/MS) participa, de 26 a 27 de agosto, do 1&ordm; F&oacute;rum de Medicina Tradicional e Complementar da Nicar&aacute;gua.</p> <p>Organizado pelo Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de do pa&iacute;s Nicaraguano, o encontro tem o objetivo de reunir as experi&ecirc;ncias das Am&eacute;ricas e ampliar o avan&ccedil;o das iniciativas no pa&iacute;s anfitri&atilde;o. Nesse contexto, conta com representantes da Organiza&ccedil;&atilde;o Pan-Americana de Sa&uacute;de (OPAS) e de pa&iacute;ses convidados a apresentarem suas viv&ecirc;ncias, como o Brasil, M&eacute;xico, Chile, EUA, Austr&aacute;lia e Guatemala.</p> <p>Na ocasi&atilde;o, o DAB apresenta a experi&ecirc;ncia das PICS no Brasil, que comemora 10 anos da implanta&ccedil;&atilde;o da Pol&iacute;tica Nacional de Pr&aacute;ticas Integrativas e Complementares (PNPIC). &ldquo;Vamos mostrar como essas praticas est&atilde;o inseridas dentro do SUS, onde est&atilde;o na rede, quais os profissionais que fazem as pr&aacute;ticas, quais pr&aacute;ticas acontecem no Brasil e tamb&eacute;m quais s&atilde;o as iniciativas que o MS tem feito para monitoramento, implanta&ccedil;&atilde;o e forma&ccedil;&atilde;o no campo&rdquo;, afirmou Daniel Amado, representante do DAB.</p> <p>Apesar de ser um encontro na Nicar&aacute;gua, a ocasi&atilde;o tamb&eacute;m garantir&aacute; espa&ccedil;o para que representantes do DAB e da Opas d&ecirc;em continuidade a conversa j&aacute; iniciada em Stuttgart, na Alemanha, com intuito de discutir a cria&ccedil;&atilde;o de uma Rede Regional Americana de Medicinas Tradicionais e Complementares.</p> <p>A rede envolveria a gest&atilde;o dos v&aacute;rios minist&eacute;rios da sa&uacute;de americanos, assim como pesquisadores no campo das pr&aacute;ticas. Com o evento, a possibilidade come&ccedil;a a tomar forma.</p> <p><strong>A PICS e a Nicar&aacute;gua</strong><br /> Em 2011, o pa&iacute;s americano aprovou uma lei que reconhece as medicinas tradicionais e complementares nos pa&iacute;s. Com intuito de integrar essas pr&aacute;ticas ao sistema local de sa&uacute;de, a Nicar&aacute;gua criou o Instituto de Medicina Natural e Complementar, que tem o objetivo de formar profissionais de sa&uacute;de que j&aacute; est&atilde;o na rede.</p> <p>Al&eacute;m de pesquisas e do controle de parte de insumos e medicamentos, o pa&iacute;s criou uma forma&ccedil;&atilde;o envolvendo o uso de plantas medicinais, principalmente focado no uso das plantas vivas inaturas, e tamb&eacute;m o uso de plantas medicinais j&aacute; manipuladas (chamados de produtos naturais).</p> <p>Ainda no pa&iacute;s Nicaraguano, houve a implementa&ccedil;&atilde;o de forma&ccedil;&atilde;o para os profissionais de sa&uacute;de em plantas medicinais e em t&eacute;cnicas complementares como o Shiatsu, t&eacute;cnicas de massagens, uso de ventosas, moxabust&atilde;o, aromaterapia e musicoterapia. Os cursos tiveram in&iacute;cio h&aacute; dois anos e j&aacute; formaram cerca de 12% dos profissionais de sa&uacute;de do servi&ccedil;o p&uacute;blico do pa&iacute;s. <br /> <br /> &nbsp;</p>