facebook   flickr   youtube   
Buscar
   facebook   flickr   youtube   
  

facebook   flickr   youtube   
Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

DAB debate resolutividade, assistência e vigilância no 4º Congresso Norte e Nordeste de Secretarias Municipais de Saúde

Data de publicação: 19/04/2016


A participação do Departamento de Atenção Básica (DAB/SAS) no 4º Congresso Norte e Nordeste de Secretarias Municipais de Saúde, em Palmas, Tocantins, já começou intensa nesse primeiro dia de evento, mesmo antes da abertura oficial.


<p>Logo pela manh&atilde;, as tr&ecirc;s oficinas &ndash; <em>Comunidades virtuais no SUS: facilita&ccedil;&atilde;o na Comunidade de Pr&aacute;ticas</em>; <em>Organiza&ccedil;&atilde;o do cuidado e resolutividade da Aten&ccedil;&atilde;o B&aacute;sica</em> e; <em>Organiza&ccedil;&atilde;o do acesso e do cuidado dos servi&ccedil;os de sa&uacute;de por popula&ccedil;&otilde;es ribeirinhas</em> &ndash; atra&iacute;ram diversos gestores que lotaram as salas e participaram ativamente dos debates. O representante do DAB na oficina que tratou da garantia do acesso com qualidade e em tempo oportuno &agrave;s comunidades ribeirinhas falou da sua satisfa&ccedil;&atilde;o em participar do debate: &ldquo;Me sinto bastante agraciado em poder colaborar com a discuss&atilde;o e aprender, cada dia mais, sobre a realidade do ribeirinho&rdquo;.</p> <p>Em sua participa&ccedil;&atilde;o na oficina sobre resolutividade, a analista do DAB, Olivia Lucena, pontuou alguns elementos que ampliam a capacidade de resolutividade das equipes como a forma&ccedil;&atilde;o dos profissionais, tendo a coopera&ccedil;&atilde;o horizontal como um forte componente; os N&uacute;cleos de Apoio &agrave; Sa&uacute;de da Fam&iacute;lia (NASF); a regula&ccedil;&atilde;o a partir da AB e o uso da teleconsultoria por meio do 08006446543, dispon&iacute;vel aos m&eacute;dicos e enfermeiros da AB de todo o Brasil para ajudar na resolu&ccedil;&atilde;o dos problemas de sa&uacute;de dos pacientes de maneira r&aacute;pida.</p> <p><input type="image" src="https://cursos.atencaobasica.org.br/sites/default/files/26523206995_05bdddee5d_z.jpg" width="300" height="200" /></p> <p><strong>Integra&ccedil;&atilde;o entre Aten&ccedil;&atilde;o B&aacute;sica e Vigil&acirc;ncia em Sa&uacute;de</strong><br /> J&aacute; no per&iacute;odo da tarde, em mesa sobre a integra&ccedil;&atilde;o entre a Aten&ccedil;&atilde;o B&aacute;sica (AB) e a Vigil&acirc;ncia em Sa&uacute;de (VS), o secret&aacute;rio da Secretaria de Vigil&acirc;ncia em Sa&uacute;de do Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de (SVS/MS), Ant&ocirc;nio Carlos Figueiredo Nardi, foi enf&aacute;tico ao afirmar que essa integra&ccedil;&atilde;o &eacute; fundamental para o enfrentamento dos desafios atuais da Vigil&acirc;ncia como as arboviroses, s&iacute;filis, mal&aacute;ria e hansen&iacute;ase e criticou as a&ccedil;&otilde;es descoordenadas entre as &aacute;reas nos mais diversos n&iacute;veis. Sobre as atua&ccedil;&otilde;es dos agentes comunit&aacute;rios de sa&uacute;de e de endemias, Nardi citou as iniciativas do MS no sentido de adequar o n&uacute;mero m&iacute;nimo de agentes de acordo com a popula&ccedil;&atilde;o e disse considerar inadmiss&iacute;vel que um agente, como membro de uma equipe de sa&uacute;de, visite um domic&iacute;lio para atividades diversas e n&atilde;o olhe quest&otilde;es relacionadas &agrave;s doen&ccedil;as transmitidas pelo <em>Aedes aegypti</em>.</p> <p><input type="image" src="https://cursos.atencaobasica.org.br/sites/default/files/26497141716_8dd2521903_z.jpg" width="320" height="214" longdesc="undefined" /></p> <p>O coordenador geral de Gest&atilde;o da Aten&ccedil;&atilde;o B&aacute;sica do DAB, Dirceu Klitzke, concordou com o secret&aacute;rio Nardi e complementou dizendo que este &eacute; o momento em que as duas secretarias do MS t&ecirc;m trabalhado de forma mais integrada em prol da assist&ecirc;ncia e que esse trabalho tem gerado bons frutos, com agenda mais intensa. Segundo Dirceu, a equipe do DAB que trabalhou intensamente na Portaria 2121/2015, nunca teve d&uacute;vidas do real papel, do potencial, e das responsabilidades dos ACS e dos ACE e que o MS procura tornar mais efetivo o trabalho dos cerca de 320 mil agentes. Ao falar da qualifica&ccedil;&atilde;o dos agentes para o enfrentamento das arboviroses, o coordenador chamou aten&ccedil;&atilde;o para o curso lan&ccedil;ado pelo DAB em parceria com a UFRGS (dispon&iacute;vel nas plataformas <a href="https://ufrn.unasus.gov.br/moodle26/" target="_blank">AVA-SUS</a> ou <a href="http://Telessa&uacute;de da Universidade Federal do Rio Grande do Sul " target="_blank">Telessa&uacute;de da Universidade Federal do Rio Grande do Sul</a>) e para a baixa procura por parte dos profissionais.</p> <p>A mesa contou, ainda, com a participa&ccedil;&atilde;o do representante da SESAI/MS, Leone Rocha, que falou sobre as especificidades da sa&uacute;de ind&iacute;gena, do representante da OPAS, Alexandre Flor&ecirc;ncio e da presidente do Cosems/RN, D&eacute;bora Costa dos Santos, que levou ao grupo desafios levantados junto a diversos secret&aacute;rios como as desigualdades regionais hist&oacute;ricas, o modelo de aten&ccedil;&atilde;o fragmentado com foco na doen&ccedil;a, dentre outros.</p> <p>O 4&ordm; Congresso Norte e Nordeste de Secretarias Municipais de Sa&uacute;de segue at&eacute; esta quarta-feira (20) com intensa programa&ccedil;&atilde;o focada nas especificidades dessas duas regi&otilde;es e grandes debates voltados para a vigil&acirc;ncia em sa&uacute;de.</p> <p>Veja fotos da participa&ccedil;&atilde;o do DAB no evento&nbsp;<a href="https://www.flickr.com/gp/140692944@N03/o26g3E" target="_blank">aqui</a>.</p> <p>&nbsp;</p>