Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
Buscar
Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
  

Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção Primária à Saúde- SAPS

 

Ministério da Saúde lança Linha de Cuidado da Doença Renal Crônica em Adultos

Data de publicação: 01/02/2022


Plataforma interativa auxilia gestores, profissionais de saúde e cidadãos e traz informações e o itinerário a ser percorrido pelo paciente dentro do SUS em cada nível de atenção


Doença renal crônica (DRC) é uma condição que afeta aproximadamente 1,5% dos brasileiros (PNS, 2019) e que exige diversos cuidados. No Sistema Único de Saúde (SUS), o cidadão começa a prevenção e o acompanhamento pela Atenção Primária, e o passo a passo desse caminho está descrito detalhadamente na linha de cuidado sobre DRC em adultos, lançada pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira, 1º de fevereiro.

A plataforma interativa estabelece o percurso assistencial adequado dos usuários nos diferentes níveis de atenção à saúde de acordo com suas necessidades, bem como as padronizações técnicas relativas à organização do cuidado no sistema de saúde. É um material que auxilia gestores (na organização e sistematização do cuidado), profissionais de saúde (que podem elaborar estratégias para prevenção, rastreio e atenção à pessoa com DRC) e a população (que tem a possibilidade de verificar quais serviços procurar e acompanhar se está recebendo os cuidados previstos).

O secretário de Atenção Primária do Ministério da Saúde, Raphael Câmara, ressalta que o diagnóstico precoce pode ocorrer por ações de rastreamento de grupos de risco ou suspeita clínica feita durante o acompanhamento de outras doenças. “A detecção precoce da doença renal crônica reduz a progressão da lesão e facilita a recuperação dos pacientes acometidos. Por isso, a Atenção Primária é tão importante nesse processo”, avalia. É na porta de entrada do SUS que são realizadas ações de promoção e prevenção de forma coletiva e individual, identificando usuários dos grupos de risco, realizando o diagnóstico precoce e instituindo tratamento adequado quando indicado.

Cenário brasileiros

O SUS é o responsável pelo financiamento de cerca de 90% dos tratamentos de pacientes em terapia renal substitutiva (TRS) no País, que compreende tanto a diálise (hemodiálise e diálise peritoneal) quanto o transplante renal.

Entre os fatores de risco para o desenvolvimento de DRC no Brasil estão a hipertensão (33%), o diabetes (30%), as glomerulonefrites (9%) e a doença renal policística (4%), sendo a hipertensão e o diabetes os principais fatores que levam o paciente à terapia de substituição renal no mundo e associam-se a 50% dos casos de DRC terminal. Esses dados são do Ministério da Saúde. A prevenção envolve tratar e controlar os fatores de riscos modificáveis; assim, a Atenção Primária assume papel central no reconhecimento dos indivíduos sob risco de desenvolver DRC por meio do cuidado longitudinal e resolutivo.

Acesse aqui a Linha de Cuidado da Doença Renal Crônica em Adultos.

O projeto

As Linhas de Cuidado trazem um protocolo clínico transversal a toda rede de atenção e estabelece a trajetória mais segura para o paciente. O material traz padronizações técnicas e informações em uma plataforma interativa e de fácil navegabilidade, com conteúdos didáticos sobre diversas doenças e orientações que organizam o atendimento no SUS.

Estão disponíveis a definição, as referências bibliográficas e as fichas técnicas da linha de cuidado consultada. Um dos objetivos é focar no cuidado da pessoa e fortalecer a Rede de Atenção à Saúde (RAS) ao promover a integração de ações e serviços, caracterizada pela formação de relações horizontais desde a unidade de saúde até os serviços especializados. Para a construção de cada linha foi realizado o levantamento de dados de protocolos, diretrizes e normas técnicas previamente estabelecidos pelo Ministério da Saúde e Secretarias de Saúde estaduais e municipais.

Estão em desenvolvimento 17 linhas de cuidado. Atualmente, além de DRC, estão disponíveis as seguintes:

  • Acidente Vascular Cerebral (AVC) no Adulto

  • Diabetes Mellitus tipo 2 (Primeira Versão)

  • Hepatites Virais

  • Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) no Adulto

  • HIV / Aids no Adulto

  • Obesidade no Adulto

  • Tabagismo

  • Transtorno do Espectro Autista (TEA) na Criança

As Linhas de Cuidado são um projeto da Secretaria de Atenção Primária do Ministério da Saúde, produzido em parceria com o Instituto para Avaliação de Tecnologia em Saúde (Iats). Confira a plataforma neste link.