Buscar
  
  

Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

Confira as principais ações da Saps em 2020

Data de publicação: 06/01/2021


Secretário Raphael Parente faz balanço do ano e relata principais incentivos financeiros repassados aos municípios em vídeo disponível no YouTube


Apesar dos desafios trazidos por 2020, que impôs adequações ao dia a dia do SUS devido à pandemia do novo coronavírus, a Atenção Primária seguiu trabalhando (ainda mais) para apoiar os brasileiros e levar o cuidado necessário à população. 

Justamente por isso, o Ministério da Saúde reforçou o atendimento e realizou diversos repasses financeiros para municípios e o Distrito Federal, fortalecendo o Previne Brasil - novo modelo de financiamento da APS - e habilitando Centros de Atendimento e Centros Comunitários para o enfrentamento à Convid-19.

Confira no vídeo abaixo o balanço do ano, feito pelo secretário da Atenção Primária à Saúde, Raphael Parente, bem como os valores e destinos dos incentivos financeiros:

 

Principais repasses:

  • Saúde bucal: R$ 4,5 bilhões para compra de equipamentos e reorganização dos atendimentos nos consultórios odontológicos;

  • Programa Mais Médicos: R$ 563,3 milhões para aumentar a presença de profissionais nos municípios brasileiros;

  • Saúde na Hora Emergencial: R$ 656,8 milhões + R$ 18,6 milhões para gestores incentivados a adotar o programa, que amplia o horário de atendimento das unidades de saúde;

  • Recursos para prevenção ao coronavírus na reabertura das escolas: R$ 454 milhões; 

  • Gestantes e puerpério saudáveis: R$ 5 milhões + R$ 128,4 milhões; 

  • Populações específicas, pessoas com albinismo e povos e comunidades tradicionais: R$ 318,4 milhões + R$ 7,1 milhões + R$ 39,7 milhões; 

  • Rastreamento e monitoramento de  contatos de casos de Covid: R$ 369,7 milhões;

  • Portadores de doenças crônicas: R$ R$ 369,7 milhões; 

  • Informatização dos postos de saúde: R$ 385 milhões); 

  • Estruturação das maternidades públicas: R$ 324,5 milhões; 

  • Apoio ao aleitamento materno: R$ 17 milhões; 

  • Reforço ao atendimento em saúde mental no SUS: R$ 99 milhões.


Fonte: - Autor(es): -